Major Maltez faz um balanço e se despede do comando da CIPE-Semiárido, em Xique-Xique

 

Com uma atuação destacada estando à frente da CIPE/Semiárido - Companhia Independente de Policiamento Especializado, o Major Carlos Maltez Filho deixa a corporação com o sentimento de dever cumprido. Após 62 meses de comando, foi publicada sua exoneração no Diário Oficial do Estado da Bahia. 

 O Major Maltez agradeceu em um grupo da CAESA a oportunidade de liderar a tropa e obter resultados significativos no combate à criminalidade.

 “Agradecer primeiramente a Deus, pela oportunidade, aos meus comandantes, pela confiança e aos meus colaboradores/comandados pela lealdade, por compartilharem do mesmo sonho, pelo suor, sangue e lágrimas derramados, para que tornássemos a CAESA a tropa respeitada pelo cidadão de bem e temida pela vagabundagem, como deve ser!”, disse. 

 “Um ciclo se encerra e outro se inicia, ao meu sucessor, Major Alcântara, desejo tudo de bom, já me colocando desde já à disposição!”, completou.

 O Central Notícia teve a oportunidade de entrevistar o Major Maltez que falou um pouco sobre esse período que esteve à frente da CIPE/SEMIÁRIDO. 

 Veja alguns trechos da entrevista: Quais os principais desafios enfrentados no período que comandou a corporação na cidades de Xique-Xique, Irecê e região. 

 Major Maltez: “O desafio, e ao mesmo tempo a honra, foi comandar uma Unidade Especializada da PM, a qual pautei a minha carreira até então, me preparei para exercer valorosa função. O fato de não haver sido lotado no interior criou uma expectativa, todavia a satisfação e qualidade de vida fizeram a diferença”, revelou. 

 Qual o legado que o senhor deixa na região? 

 Major Maltez: “Os números falam por si, oito semestres consecutivos de redução dos índices de crimes e homicídios na região, a retirada de Irecê do mapa da violência do Brasil, a consolidação da erradicação de Xique-Xique como a "capital do polígono da maconha", como já fora anteriormente conhecida, me credenciam a poder falar que a Segurança Pública aqui na região hoje é outra, fruto de um trabalho sério, com suor, lágrimas e sangue derramados, mas que trouxeram mais tranquilidade ao sertão”, pontuou .

 Sentimento de deixar a corporação. 

 Major Maltez: “Deixo o comando da CAESA/CIPE SEMIÁRIDO, a minha trajetória na PMBA ainda continua. Eu só tenho gratidão, primeiramente a Deus, agradeço também aos meus Comandantes pela confiança e aos meus liderados aqui na CAESA, por todo o trabalho desempenhado”, destacou. 

 Atuação da CIPE-SEMIÁRIDO 

 Vale relembrar que a Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Semiárido tem 17 anos de atividades na Região Integrada de Segurança Pública (Risp) da Chapada Diamantina. Os 106 integrantes da unidade, instalada na cidade de Xique-Xique, realizam policiamento ostensivo e preventivo no combate ao tráfico de drogas, investidas contra instituições financeiras, outros delitos contra o patrimônio e na redução dos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI). 

 Sob o comando do Major Maltez, em 2019, foram realizadas 72 operações e obtido êxito na prisão de 200 indivíduos envolvidos em atividades criminosas. No período, foram apreendidos mais de uma tonelada de entorpecentes prontos para a comercialização, além da erradicação de aproximadamente 620 mil pés de maconha. 

 “Cerca de 30 mil pés foram queimados na zona rural do povoado de Laçarote, cidade de Cotegipe, durante operação conjunta com a Cipe-Cerrado”, relembrou o ex-comandante da Cipe-Semiárido, major PM Carlos Maltez. 

 Fonte: Central Notícia



Nenhum comentário: