Pular para o conteúdo principal

Anvisa aprova dose de reforço para vacina da Pfizer

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou resolução com a mudança da bula da vacina da Pfizer (Comirnaty) para incluir a possibilidade da dose de reforço e de que a aplicação adicional seja feita seis meses após a conclusão do ciclo vacinal para pessoas a partir de 18 anos. A aprovação foi condicionada ao monitoramento do uso da dose de reforço e de possíveis efeitos adversos. 

 Contudo, em reunião da diretoria colegiada nesta quarta-feira (24), foi aprovado voto, com questionamentos e recomendações ao Ministério da Saúde, para realização da campanha da dose de reforço desse e de outros imunizantes, anunciada na semana passada. 

 Isso porque o ministério informou, no dia 16 deste mês, que aplicaria as doses de reforço para todos os cidadãos com idade a partir de 18 anos. Até então, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) só direcionava doses de reforço para idosos, imunossuprimidos e profissionais de saúde. 

 Na semana passada, porém, nenhuma vacina contra a covid-19 tinha autorização da Anvisa para a dose adicional. A agência enviou então um ofício ao Ministério da Saúde solicitando esclarecimentos sobre a campanha anunciada. O ofício foi respondido hoje, com respostas parciais. 

 A partir de hoje, a aplicação da dose de reforço da Pfizer passa a estar ancorada pela permissão da Anvisa, mas as demais, ainda não. O consórcio Oxford/AstraZeneca, que tem parceria no Brasil com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), solicitou no dia 17 deste mês autorização da terceira dose para quem tomou as duas primeiras do mesmo imunizante. 

 A Janssen também entrou com pedido na Anvisa para aplicação da dose de reforço tanto em quem tomou a dose única da farmacêutica quanto em quem recebeu doses de outras marcas. O requerimento foi feito no dia 19 de novembro. A Anvisa deve fazer a avaliação em até 30 dias. 

 Os pedidos do consórcio Oxford/AstraZeneca e da Janssen ainda estão em análise pela equipe da Anvisa. A CoronaVac, da farmacêutica Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, ainda não solicitou a atualização para contemplar a terceira dose.

 Enquanto a alteração da bula da vacina da Pfizer foi decidida pela equipe técnica e publicada no Diário Oficial de hoje, a Diretoria Colegiada discutiu diretrizes para doses de reforço em geral. A relatora do tema, Meiruze Freitas, questionou o fato de o Ministério da Saúde não ter encaminhado a campanha a partir da aprovação da Anvisa. Mesmo assim, Meiruze reconheceu, com recomendações, o benefício da dose de reforço. 

 “O mais adequado seria o ministério ter aprovado por meio de rito regulatório da Anvisa, a inclusão da dose de reforço, permitindo essa posologia na bula das diferentes vacinas. Entretanto, a realidade nos impõe olhar todo o cenário, e a situação que vemos, como de maior controle do ponto de vista da vigilância sanitária”, disse Meiruze. 

 A relatora mencionou estudos tanto das farmacêuticas quanto de autoridades sanitárias de outros países que indicam um perfil de segurança após tomar a dose de reforço semelhante ao da segunda dose. Ainda de acordo com Meiruze, pesquisas científicas apontaram uma melhoria da resposta imunológica de pessoas que receberam doses adicionais seis meses depois da conclusão do ciclo vacinal original.

 Quanto a quem tomou a dose de reforço com vacina diferente das originais, a Anvisa não vê risco. Por isso, pessoas que já tiveram a aplicação da dose adicional com uma marca distinta daquela usada no ciclo vacinal primário, a princípio, não teriam grandes possibilidades de efeitos adversos. 

 Recomendações 

Todavia, diante do fato de que ainda são necessários mais dados de monitoramento de eventos adversos da vacina da Pfizer e pelo fato das demais marcas ainda não terem autorização, a relatora apresentou ao Ministério da Saúde um conjunto de recomendações sobre a campanha. 

 Segundo Meiruze Freitas, o Ministério da Saúde já informou à Anvisa mudanças em relação ao que foi anunciado na semana passada. Pessoas vacinadas com imunizantes da Pfizer e da Janssen deverão tomar a dose de reforço da mesma marca das anteriores. Já as que receberam doses da Oxford/AstraZeneca e da CoronaVac receberão vacina de reforço de outra marca, como a Pfizer.

 São estas as recomendações feitas pela relatora:

 Uso do esquema vacinal homólogo (mesma dose de reforço das originais tomadas) para a vacina da Pfizer; 

 Emprego do esquema homólogo também para as vacinas da Janssen e Oxford/AstraZeneca até que haja uma decisão da Anvisa sobre os pedidos dos dois consórcios;

 No caso de aplicação da dose de reforço para pessoas que tomaram CoronaVac, o uso da vacina da Pfizer (única com previsão em bula) como dose de reforço;

 Adoção de um programa adicional para monitorar uso de vacinas em desacordo com a bula; Estabelecer o monitoramento dos esquemas vacinais, incluindo os riscos da estratégia adotada e reações adversas graves, como trombocitopenia, síndrome de Guilllain-Barré, linfadenopatia, miocardite e pericardite; 

 Continuidade de estudos pela Fiocruz sobre a aplicação de doses adicionais; 

 Adiamento da dose adicional de vacinas com RNA mensageiro, como Pfizer, para pessoas que tiveram miocardite após doses anteriores; 

 Revisões contínuas sobre as informações relativas à segurança, eficácia e imunogenicidade das doses de reforço; 

 Coordenação com estados e municípios para procedimentos de farmacovigilância e monitoramento dos efeitos dos esquemas vacinais da dose de reforço. 
 Fonte: Agência Brasil


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bahia vence São Paulo e se aproxima do “PELOTÃO” DA SUL-AMERICANA

  Único gol da partida foi marcado por Rossi, aos 77 minutos da segunda etapa Jogando na Arena Fonte Nova, o Bahia bateu a equipe do São Paulo por 1 a 0, na noite deste domingo, e reencontrou o caminho dos triunfos.   O único gol da partida foi marcado por Rossi, aos 77 minutos da segunda etapa. Com o resultado, o Bahia saltou para 14ª posição, com 37 pontos. Agora, os comandados de Guto Ferreira visitam o Flamengo na próxima quinta-feira, às 19h, no Maracanã.   Agora, a equipe abriu seis pontos para zona de rebaixa mento e começa a sonhar com vaga na Sul-Americana, já que tem apenas um ponto a menos que o Atlético-GO, 12º colocado.  O jogo  Logo aos quatro minutos de jogo, Rigoni recebeu na área e soltou a bomba, mas a bola explodiu na zaga e sobrou para Miranda, que tentou empurrar para o gol, mas Luiz Otávio afastou o perigo. Aos 14, Juninho Capixaba recebeu no meio, arrumou para o pé direito, e bateu colocado. Volpi, bem colocado, se esticou para evitar o gol do Bahia.   Seis min

João Dourado: Com 86,8% de urnas apuradas, Di Cardoso vence eleição suplementar

  O candidato a prefeito de João Dourado Diamérson Costa Cardoso Dourado, o "Di Cardoso" (PL), já pode ser considerado vencedor da eleição suplementar ocorrida neste domingo (7). Com 86,79% das urnas já apuradas, o candidato já obtém 6.436 votos [56,81%] contra 4.913 votos [43,19%] de Abimael Dourado Lima Júnior, o Juninho (PSD).   Di Cardoso representava a chapa “Agora é com mais força” e reunia os partidos PL, PSB e PC do B. Di Cardoso havia vencido o pleito de novembro do ano passado, mas teve o diploma cassado, devido ao fato de ter a então candidata a vice-prefeita irregular.   Rita de Cássia Amorim Amaral, conhecida como Rita de Doutor Celso, tinha assumido a prefeitura em menos de dois meses para o pleito. Já a candidatura de Juninho (PSD) foi considerada irregular por conta da situação do seu candidato a vice à época, o ex-prefeito Antônio Rogerio Dourado Vasconcelos.  Uma perícia do Ministério Público Eleitoral teria constatado que a prefeitura, sob gestão de Vasconc

RG Expresso chega a todos os postos SAC da capital e interior

  O RG Expresso, serviço que possibilita ao cidadão solicitar a reimpressão da carteira de identidade sem precisar sair de casa, já está disponível em todos os postos SAC da capital e interior. Ao optar pelo RG Expresso, basta ir ao posto SAC só uma vez, apenas para receber o documento já pronto. Sem o RG Expresso, o cidadão precisa ir duas vezes ao posto SAC.   O RG Expresso é feito online, por meio do SAC Digital. O cidadão solicita pela internet ou pelo aplicativo, e depois agenda dia e horário para buscar o documento no posto SAC escolhido, após o pagamento da taxa de R$ 39,39. Para solicitar o RG Expresso é preciso que a carteira de identidade tenha sido emitida há seis anos, no máximo.   Vale salientar que o RG Expresso mantém a data de expedição da última via solicitada, além da data do novo pedido. O prazo máximo de recebimento é de cinco dias úteis na capital e sete no interior. Em Salvador, região metropolitana (RMS) e interior, todos os 36 postos SAC estão aptos a entregar o